Os desafios humanos para uma transformação digital efetiva

Publicado originalmente em 22 de setembro de 2018




A transformação digital deve importar para qualquer negócio que não queira perder espaço ou mesmo ser substituído por uma start up mais ágil e inovadora e exatamente por isso, está na agenda estratégica da maioria das empresas, e ainda assim vemos que muitas com disponibilidade de capital e acesso fácil às ferramentas mais disruptivas do mercado não conseguirem ser bem sucedidas nesta jornada. De fato 70% das tentativas não funcionam como esperado e um estudo publicado neste ano mostra como o investimento em novas tecnologias pode até mesmo impactar negativamente a empresa e canibalizar os produtos e serviços existentes. E os motivos são conhecidos.


Todas as tentativas que não funcionaram apresentam uma mesma causa: o entendimento equivocado de que a adoção de tecnologias disruptivas como parte do modelo de negócio é o suficiente, quando o fundamento para o sucesso está em aceitar esta mudança como algo mais profundo, um processo multifacetado e difuso que não envolve apenas tecnologia. A transformação digital é um processo contínuo de mudar a forma como o modelo de negócio funciona, envolvendo a colaboração e autonomia na forma como trabalhamos, a simplificação de processos para funcionarem em um mundo ágil e a aplicação de tecnologias como um meio para alcançar um fim.


Por mais paradoxal que pareça a transformação digital é sobre pessoas e não tecnologia. As empresas que foram bem sucedidas nesta jornada, investiram primeiro na mudança da cultura, promovendo soft skills fundamentais para a Era Digital: autonomia, experimentação, colaboração, transparência e responsabilidade.


Quando aceita e adotada, esta transformação promove a simplificação de processos internos, elimina barreiras comuns em modelos tradicionais, fundamenta a postura centrada no encantamento do cliente e contamina positivamente todos os envolvidos. A tecnologia é inserida em tudo isso, mas não como um fundamento, e sim uma poderosa ferramenta que potencializa os resultados do negócio.


Abraçar a Era Digital não significa substituir os negócios e habilidades tradicionais, e sim dar uma nova vida aos antigos componentes de negócio, reconstruindo os modelos de negócio através da adoção de atributos que potencializam o uso de novas tecnologias, reduzindo custos operacionais, incrementando a produtividade e abrindo novas oportunidades. Estudos realizados com empresas de diferentes indústrias que alcançaram o sucesso nessa jornada apontam para quatro componentes comuns:


  • Mudança da cultura corporativa onde deve-se aceitar valores muitas vezes inéditos como autonomia, colaboração, experimentação, aprendizado pelo erro, feedback e otimização.

  • Patrocínio da liderança promovendo a integração, removendo silos e eliminando as resistências comuns do sistema imunológico corporativo.

  • Foco no cliente através da empatia e encantamento com tecnologias sendo aplicadas para promover um atendimento cada vez melhor, mais rápido e customizado.

  • Entendimento claro do contexto digital, onde o uso de dados e tecnologias disruptivas sempre atendem a uma ou mais de três premissas: proposta para o negócio, experiência para o cliente e viabilidade.

Claro que tudo isso é um grande desafio que leva tempo para ser implementado com efetividade e se você acha que é impossível adotar em uma empresa que não tenha nascido digital, que tal o exemplo do Netflix, que começou entregando fitas VHS para os seus clientes pelos correios? O sucesso da empresa sempre foi conectado com as bases de sua cultura: liberdade, confiança, autonomia e responsabilidade. O cofundador e CEO, Reed Hastings, adotou o princípio de “contexto ao invés de controle”, o que inclui estratégia, objetivos, papéis definidos, gestão dos riscos e transparência na tomada de decisões. Isso se opõe ao controle tradicional, onde a tomada de decisões acontece de cima para baixo com muita burocracia que pouco agrega aos resultados finais e repele as tentativas de inovação.


Os valores da empresa incluem a expectativa de que os funcionários “a mantenham ágil, minimizando a complexidade e encontrando tempo para simplificar”. Ao confiar nos funcionários dessa maneira, a Netflix se beneficia de uma agilidade estratégica que se estende por toda a estrutura da empresa. Alcançar o sucesso na Era Digital — e o manter de agora em diante — é muito mais profundo do que simples e pura tecnologia, é derrubar valores antigos que funcionaram por décadas e abraçar um novo modelo de negócio. E isso não é fácil para ninguém, só que se você não fizer logo, alguém que já está fazendo vai tomar o lugar do seu negócio.


Para saber mais:


  1. How to Win at Digital Transformation: Insights From a Global Survey of Top Executives

  2. Solving the productivity puzzle

  3. Netflix’s success demonstrates the importance of strategic agility


#transformacaodigital

2 visualizações

Bygge - Proudly Made in Curitiba

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Vimeo Ícone